Segundo o Houaiss, TRABALHO é: sm. fis. grandeza que pode ser definida como o produto da magnitude de uma força e a distância percorrida pelo ponto de aplicação da força na direção desta (τ); esforço incomum; luta, lida, faina; conjunto de atividades, produtivas ou criativas, que o homem exerce para atingir determinado fim; atividade profissional regular, remunerada ou assalariada; qualquer obra realizada (manual, artística, intelectual etc.).

8 de setembro de 2007

Desvalorização do idoso


Até pouco tempo ter mais de 40 anos e conseguir um emprego era tarefa das mais difíceis. No entanto, a situação agora é outra. Muitas empresas já perceberam que o preconceito estava causando prejuízo. A experiência e o talento estavam sendo deixados de lado.
E por isso, o mercado de trabalho está dando oportunidade para os profissionais mais maduros. O problema é que as vagas aumentaram, mas a valorização nem tanto. Estou me referindo especificamente aos idosos, que se encaixam nessa parcela mais experiente de trabalhadores.

O mercado ainda reserva pouco espaço para a terceira idade (os desempregados dessa faixa etária são os que levam mais tempo para conseguir um emprego).
As jornadas de trabalho são bem semelhantes, enquanto um funcionário idoso costuma trabalhar 41 horas semanais, os outros funcionários trabalham em média 44 horas. Porém, como muitos empregadores ainda consideram que os idosos não dão muita importância para o dinheiro, uma vez que o importante é exercer alguma atividade para se sentir útil, o salário acaba sendo bem reduzido.

É verdade que muitos idosos voltam para o mercado de trabalho não apenas para aumentar a renda, como também para ter uma atividade. Mas isso ser desculpa para diminuir o salário dos empregados dessa faixa etária é um absurdo.
>Foto:
http://forumcidade.blogspot.com/2004_03_01_archive.html

>Recomendo o site:
http://www2.uol.com.br/aprendiz/guiadeempregos/especial/artigos.htm
onde estão disponíveis vários artigos e reportagens sobre o tema

4 comentários:

Aninha disse...

É semelhante ao que ocorre com os estreiantes no mercado de trabalho, as empresas pagam pouco achando que você está lá para adquirir experiência. O ponto é que todo mundo quer pagar menos e sair no lucro. "Capitalismo selvagem".

Laís Rosa disse...

Então, eu sei que os estreiantes também não são valorizados e tal. O estágio é só mais uma forma de lucrar horrores explorando a esse tipo de mão-de-obra.
Mas já existem várias regulamentações que se preocupam em proteger os estreiantes no mercado, por exemplo no caso dos estagiários. Eu não sei se essas regras são realmente obedecidas, mas o estágio não pode durar mais de 12 meses, e naõ faz muito tempo estava em pauta até um projeto que definia uma faixa salarial para que os estagiários não pudessem ser tão explorados assim.
E na minha opinião, conforme você vai adquirindo experiência, mostrando sua capacidade e seu esforço, as oportunidades vão surgindo e você evolui no mercado de trabalho. Só que com os idosos isso é diferente, quem opta por contratar funcionários dessa faixa etária, sabe que não vai estar lidando com força e músculos, e sim com inteligência e experiência (foi isso que um empregador disse em uma entrevista que li). Ou seja, não é preciso treinar o funcionário, ele já vem pronto, já é experiente...
E aí o que o empregador faz?
Paga menos para esse funcionário.
E isso não tem nada a ver com a carga horária ser um pouco menor, o salário inferior é devido apenas ao fato desses funcionários precisarem de uma atividade!
Até parece que a empresa está fazendo um favor a eles!!!
E não há nenhuma regulamentação (pelo menos eu não achei nenhuma, enquanto pesquisava sobre o assunto) que proteja esses funcionários idosos.

Henrique P. Carvalho disse...

Parabéns
Adorei o blog
otimo trabalho
continuem assim.

Anônimo disse...

É um ponto interessante a ser discutido: alias a atividade para os idosos com salários dignos que respeitem os direitos naturais de um membro da sociedade(trabalho).
No entanto, não temos estrutura suficiente nem interesse para empregar a nova classe trabalhadora,e sobra também para os mais velhos, que sofrem com tais estipulações de condições para trabalharem. É necessário mais investimento na Previdência Social, para que um idoso possa viver bem sua terceira idade; ou talvez se tivessemos cargas horárias de trabalho mais baixas, todos poderiam usufluir do direitos e prazeres do trabalho de maneira mais igualitária/justa.
Parabéns pela escolha do tema para o blog e para redatora Laís Rosa, que expõe muito bem suas idéias.